07dez
2018
0

Adaptação na escola

A adaptação escolar é um tema controverso na Educação Infantil.

Muitos pais e até educadores ainda acreditam que os métodos mais eficazes continuam sendo a disrupção e a adaptação forçada. Durante décadas, essa dinâmica foi vista como um mal necessário que garantiria o alcance de um bem maior, a educação.

O resultado a curto prazo? Choro contínuo, baixa na imunidade e rejeição das atividades, colegas e professores. O resultado a longo prazo? Gerações inteiras traumatizadas em relação à escola.   

Esse cenário, contudo, está mudando. Hoje, escolas e creches se preocupam mais com as emoções, com a individualidade e com bagagem de cada criança na hora de recebê-la pela primeira vez.

Os diferentes contextos de adaptação escolar

Aqui na Escola Infantil Montessori, entendemos que há diferentes contextos de adaptação escolar. Há, por exemplo, situações em que a criança já frequenta uma escola infantil ou creche que não segue a metodologia montessoriana. Assim, ao ser matriculada, ela passará por uma fase de normalização, onde haverá o alinhamento entre suas experiências até aquele ponto e a proposta pedagógica da escola.

Assim, ela terá que se adaptar ao ambiente, ao não intervencionismo dos professores, aos materiais sensoriais e aos demais recursos que fazem parte do ensino montessoriano.  

Já em outra realidade, há aquela criança que nunca foi à escola ou creche, e que está saindo do ambiente familiar pela primeira vez. Tudo é novidade e, na infância, novidades podem ser assustadoras. O processo de acolhimento, nesse caso, é extremamente necessário, a fim de minimizar o impacto da separação entre a criança e seus pais ou sua casa traz.

Há, por fim, a adaptação da criança que está mudando de escola ou de turma, e que por isso precisa interagir com colegas e professores diferentes dos que já está acostumada.

Todos esses processos têm características únicas. Os educadores e os próprios gestores devem compreender isso e elaborar estratégias sob medida para acomodar as diferentes necessidades desses alunos.

O universo estranho da escola aos olhos de uma criança

Aos olhos da maioria dos recém-chegados, a escola é um universo estranho, um espaço a princípio frio e assustador. Isso porque desde seu nascimento, o bebê tem uma convivência estritamente familiar.

Os espaços que ele ocupa são conhecidos e controlados por seus pais, assim como os adultos com os quais interage. Do seu ponto de vista, a criança vive numa bolha de segurança.

Quando ela vai para a escola pela primeira vez, tudo é virado de cabeça para baixo.

A partir desse momento, a criança ocupará um espaço que é coletivo e compartilhado com o “outro”. Como consequência natural, ela passará por uma fase de adaptação a esse universo estranho, que, ao longo do tempo, se provará também um universo de descobertas, aventuras e muitos aprendizados.  

É importante ressaltar que o tempo e o processo de adaptação de cada criança variam. Para alguns, é uma questão de dias, para outros, semanas e meses.

Já listamos sete dicas para você, pai ou mãe, facilitar a adaptação escolar de seu filho. Agora, vamos focar nas estratégias de acolhimento empregadas na escola Montessori!

A importância das estratégias de acolhimento

As estratégias de acolhimento visam diminuir o impacto que a separação dos pais exerce na criança, especialmente nas primeiras semanas de aula, quando tudo ainda é novidade e há muita insegurança pairando no ar.

As ações que listaremos a seguir reduzem a sensação de abandono experimentada pelos pequenos quando seus pais os deixam com pessoas estranhas em um ambiente desconhecido.  

Crianças precisam se sentir seguras na escola para poder aproveitar tudo que esse ambiente pode oferecer. As estratégias de acolhimento mostram justamente o planejamento que a instituição tem para acomodá-las, conquistá-las e ganhar sua confiança.

Assim, algumas de nossas estratégias de acolhimento são:

  • Reunião individual antes do ano letivo começar com cada família. O objetivo é conhecer a criança, suas preferências e características, bem como as necessidades dos pais.
  • Reunião para explicitar o planejamento da escola para o período de adaptação.
  • Horário diferenciado de chegada, no intuito de que os educadores possam dar a máxima atenção a cada criança.
  • Tempo de permanência na escola reduzido na primeira semana de aula. Esse tempo serve para que a criança compreenda gradativamente que os pais sempre retornam para buscá-las. Essa dinâmica facilita que os alunos relaxem e aproveitem o dia na escola.
  • Possibilidade de permanência de uma pessoa da família na escola nos primeiros dias. Essa pessoa, que representa um porto seguro para a criança, vai distanciando-se aos poucos, mesmo que seja por um curto período de tempo.
  • Atividades que auxiliam no estabelecimento de vínculos com os profissionais da escola e colegas. Estamos falando de atividades ao ar livre e liberdade de escolha de materiais.

Como você pôde perceber, deve haver cooperação entre a escola e a família, pois só um esforço conjunto vai garantir que criança se sinta bem-vinda e amparada.  

Cada uma dessas ações de acolhimento garante que a criança se acostume, aos poucos, ao novo ambiente e vá construindo confiança em relação aos professores e aos colegas!

A adaptação na Escola com filosofia Montessori

Quando o assunto da adaptação escolar é mencionado, é comum que pais e professores antecipem uma dor de cabeça, pois durante muito tempo as crianças eram literalmente arrancadas dos braços de suas mães. Chorando ou esperneando, elas eram obrigados a permanecer na escola até a hora do sinal.  

Essa postura, contudo, tem sido cada vez mais problematizada por pedagogos e educadores, que perceberam que a adaptação escolar não precisa ser um pesadelo. O segredo para isso? Respeitar o tempo da criança e fazer com que ela se sinta acolhida e segura nesse novo ambiente.

Nossas estratégias de acolhimento fazem com que os alunos se sintam compreendidos em suas particularidades e tenham suas necessidades atendidas.

Fonte: https://escolainfantilmontessori.com.br/blog/adaptacao-na-escola-montessori/