26out
2018
0

Educar pelo exemplo

“Uma atitude vale mais que mil palavras”. Todos já se depararam com essa máxima em algum momento da vida, não é mesmo?

Embora antigo, esse ditado nunca foi tão atual, pois, de acordo com o professor e filósofo Mario Sergio Cortella, o bom exemplo ainda é a melhor maneira de educar uma criança.

O professor Cortella defende a construção de uma convivência mais ética dentro e fora das escolas. No entanto, para que isso aconteça, é preciso que os pais assumam suas responsabilidades no assunto e desempenhem suas partes com extrema maestria.

Em outras palavras, é preciso compreender que a difícil tarefa de educar um filho começa em casa, não é dever na escola e deve ser feita por meio de bons exemplos. Na teoria parece fácil, mas o dia a dia exige determinação e paciência.

Impor limites com amor

Já falamos aqui no blog que, infelizmente, muitos pais se sentem culpados por não poder passar mais tempo com os seus filhos e, por isso, acabam sendo permissivos demais.

O que eles não entendem é que essa atitude causa um malefício enorme na vida da própria criança no futuro, por mais bem intencionada que a atitude dos pais seja. Isso porque se tornarão adultos mimados que não saberão lidar com os vários ‘nãos’ que a vida lhes presenteará.

Impor limites nada tem a ver com privar o filho de um pequeno prazer. Impor limites tem a ver com os valores que os pais transmitem aos seus filhos.

Desde muito cedo, os bebês aprendem a espelhar os gestos da mãe e, sendo assim, é uma perda de tempo imensa tentar explicar com muitas palavras os conceitos morais às crianças, principalmente aos menores.

Por isso, mais do que um amontoado de palavras, os valores da família devem ser praticados na convivência e no respeito a si mesmo e ao próximo. O comportamento e a conduta dos filhos dependem exclusivamente dos exemplos que eles recebem em casa.

O certo e o errado

Em abril de 2015, em uma palestra em um colégio no Morumbi (SP), o professor Mario Sergio Cortella apresentou a palestra “Como construir uma convivência mais ética no nosso dia a dia? Reflexões urgentes para pais, docentes e educadores”, a qual foi baseada em seu novo livro, “Educação, Convivência e Ética” (Cortez Editora).

As crianças observam e recebem influência do comportamento de seus pais e educadores, mesmo que não seja dito claramente a elas o que é certo e o que é errado.

De acordo com o professor Cortella, a ética na família vai além de determinar o que é adequado e o que não é. A ética representa uma reflexão sobre o motivo que leva você a fazer aquilo que faz. Isto significa que é preciso que pensemos se as nossas atitudes são benéficas para nós e para os outros ou se são boas para nós, mas prejudicam os outros.

Cortella diz: “É preciso formar pessoas na vida que entendam que ser decente não traz todas as vantagens que quem não é decente obtém imediatamente, mas que traz muitas outras que persistem no tempo, e que o indecente não conquista”.

O grande problema aos olhos do professor é que os pais não estão passando para os filhos a noção de esforço, o que é prejudicial às suas formações morais: “se uma criança não foi formada aprendendo a valorizar a ideia de esforço, ela vai achar que as coisas acontecem como mágica, que não é preciso correr atrás de nada”.

A responsabilidade da escola

É importante compreender que é necessário haver uma parceria entre família e escola. Muitos pais persistem na ideia de que se pagam uma mensalidade alta, a escola deve educar seus filhos. Isso é um equívoco.

O valor da mensalidade se refere ao valor pago pela prestação de um serviço, que é instruir os alunos. Escolarização e educação são coisas diferentes.

A educação, a ética e os valores são responsabilidades da família e – quem diria? – são gratuitos! Ensinar o filho a respeitar seus colegas e seus professores, por exemplo, não custa nada e é dever dos pais!

Família e escola são instituições que representam papéis diferentes na vida de uma mesma criança. Por isso, a parceria entre as duas instituições é fundamental para que a consolidação dos valores éticos seja realizada.

 

 

 

Fonte: Revista Pais & Filhos

A melhor forma de educar uma criança ainda é pelo bom exemplo